terça-feira, 31 de agosto de 2010

Poema Esquecido

Eu tive a sensação de ter o poema mais lindo do mundo na ponta da minha língua...

mas ele se foi


À medida que as palavras apareciam na minha cabeça
aumentava o meu desespero


febre
mal-estar
vertigem
sensação de enjoo


Quando tentei recuperar as suas palavras
o poema desapareceu
como se fosse um feitiço


Agora eu não sou mais o mesmo


Em tudo o que escrevo carrego a saudade daquele poema perdido
a esperança de um dia lembrar
a frustração de não conseguir


Aquele poema teria mudado minha vida
e talvez teria mudado a tua também


Ouso dizer ainda que aquele poema poderia ter mudado o mundo!


Mas eu me esqueci

e ao me esquecer
fui eu
e não o mundo
que mudou



O mundo permanece o mesmo
ri dos poetas
banaliza o amor
(essa palavra tão banal)


Castiga o versos de Neruda
as prosas de Baudelaire
os sonetos de Vinícius


Mas eu não sou mais o mesmo
e fico me indagando:

Será que esses poetas também tiveram um poema transcendente na ponta da língua
e também se esqueceram?

Será que a obra deles não foi em busca de um poema perdido?

Será a minha vida assim?

Eu não sei
e quero mais que tudo neste mundo me lembrar daquele poema

Mas eu não me lembro
e talvez nunca me lembrarei

mas eu sei
que aquele poema
esquecido e perdido
que poderia ter mudado o mundo

acabou mudando

o
meu
mais
profundo
ser

- Bartolomeu Parreira Nascimento - Maringá 2010

Um comentário:

. disse...

barto achei o my space velho e perdido, até me arrependo relendo, e os erros de portugues, sobre eles também comentei...
muito bom os teus poemas...
se quiser ver se tem algo que preste lá, mas acho dificil de encontrar, assim como o seu poema que deves continuar à procurar
http://tierastaprotestante.spaces.live.com